26 agosto 2010

Reading...




Acredite: a maioria dos adolescentes do Brasil não lê os livros indicados pela escola – ou mesmo qualquer outro.
E por quê? Porque ler dá medo; os clássicos então? Apavora!
Mas, calma, a culpa não está nos ombros de ninguém.
Está no de todos nós.
Desde criança nos é ensinado que os livros – mesmo aqueles inofensivos com suas capas coloridas, cinco páginas e figuras grandes – são redutos de alta complexidade lingüística e poderes sobrenaturais no que tangem o tédio e o entendimento.
Então você se pergunta: “qual a graça de ler algo e não entender nada?”
E responde: “Nenhuma, oras, melhor procurar algo legal para fazer”.
Adolescentes não fazem nada que não seja divertido – exceto que duras penas lhe sigam os calcanhares.
Às vezes, até mesmo por cima delas.
Mas a culpa não é dos nossos pais, nem dos pais dos nossos pais – nem dos nossos hormônios.
Na verdade, se procurarmos um culpado, seremos levados até onde um grito de “Terra a vista!” soou pelas matas virgens do Brasil. Ao contrário do que dizem os livros de História, não fomos colonizados pelos escritores, pintores e filósofos das caravelas. Todos sabem que a maioria dos colonizadores brasileiros eram índios, escravos e portugueses deportados. E eles não sabiam ler.
Então, não era surpresa que não sejamos um país de leitores.
Assim como não é surpresa que a maioria tenha dificuldade em gramática, literatura, produção e interpretação textual. É tudo uma conseqüência.
E nesse caso, a pior delas é: recorrem a resumos, afinal precisam de nota. E quem perde com isso não são nossos professores, nem os grandes autores. São eles mesmos.
OK, apontar o problema é bem simples.
E a solução para esse é mais simples ainda: ler. O problema é começar.
Não adianta dizer que está na hora e pegar a obra completa de Goethe,
Victor Hugo ou Camões. Você vai desistir nas primeiras páginas.
Leitura é uma prática que requer hábito.
E agora que decidimos começar, que tal um pequeno manual?


1. Pegue um daqueles volumes únicos de língua portuguesa qualquer
e leia todas as tirinhas. Isso mesmo, as tirinhas!
Perceba como as palavras unidas à imagem conseguiram ter tanto significado.
Perceba a ironia e todos os significados das palavras, nos mais diferentes contextos.
2. Sabe aqueles gibis da Turma da Mônica ou do Mickey Mouse que você adorava folhear quando pequena, mas não tinha paciência de ler por completo? Hora de tirá-los da gaveta. Leiam todos os dias.
Depois aumente sua cota para dois. E quando estiver lendo muitos por dia,
passe para o próximo passo.
2.1- Certifique-se de que está se divertindo com isso, é importante!
3. O que preferi? Romance, Fantástico ou Mistério? Faça uma pesquisa, procure indicações.
Comece por algo pequeno. Um livro de cem páginas já está de ótimo tamanho.
Leve o tempo que precisar, mas certifique-se de ler pelo menos um pouco todos os dias.
4. Quando sentir-se preparado, pegue algo maior. Não exagere.
 Faça tudo aos poucos. 100, 150, 200 páginas e por aí vai.
As coleções são um prato cheio, já que aumentam gradativamente
– além de aguçarem o gostinho de saber o final.
4.1 – Não está gostando da história? Esqueça e pegue outro livro.
Diversão é muito importante aqui.
5. Está preparado? Hora de algo grande. Que tal um daqueles clássicos da escola?
Ou aquele super livro que você sempre teve receio até mesmo de folhear?
Não tenha medo. Você é completamente capaz de chegar ao final.
Afinal, você é um leitor, certo?

Aos poucos, você vai perceber como as palavras já fazem parte do seu dia-a-dia, vai descobrir lugares inimagináveis, fantásticos e mesmo assim tão simples nas muitas folhas por onde passeou.
Vai entender que não é preciso saber todas as regras gramaticais para saber escrever corretamente, vai sentir o gosto da libertação quando tiver uma opinião formada pelos mais diferentes temas.
Vai ter um vocabulário vasto e passar horas estudando história e literatura não vai ser mais (tão) tediantes. Vai chorar de emoção, chorar de rir e apaixonar-se pelos mais diversos personagens – não importa se vilões ou mocinhos ou simples coadjuvantes.
E acima de tudo, vai poder estufar o peito e dizer:
Estou colaborando para o final feliz da história mais incrível que já conheci: a minha.
Então, que tal me dar sua mão? Tenho uma coisa para lhe mostrar. Confie em mim. 
É algo que faz parte de mim. Agora, você não tem mais desculpas. Têm motivos. 
E (no) Depois Dos Quinze, Você tem todos os motivos.

De: Depois dos quinze    [http://depoisdosquinze.com/]

1 Opiniones:

^v^ ۩[†] Ahriel Raven Grey [†] ۩ ^v^ dijo...

Muy original la cabecera de tu blog. Y tienes razón, antes, ahora y en el futuro, los ricos, SIEMPRE, tendrán el poder, tristemente....